13 de setembro de 2018
0
||||| 0 |||||
65

10 Questões Para Você Entender a Celulite

Shutterstock

95%: esse é o percentual de mulheres que apresentam lipodistrofia ginóide, ou seja, a famosa celulite. “A celulite é uma inflamação do tecido adiposo, onde essas células gordurosas sofrem processo de alteração, apresentando excesso de gordura no seu interior e deformidade da sua parede. Então, as irregularidades acabam se projetando na superfície e levando à formação de um relevo heterogêneo e uma pele cheia de reentrâncias e ondulações”, explica a dermatologista Dra. Valéria Marcondes, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da American Academy of Dermatology (AAD). Embora a celulite não seja considerada uma patologia, ela é uma alteração estética importante, que leva muitas pacientes às clínicas dermatológicas na busca de uma solução.

Abaixo, a médica explica detalhes da celulite:

Por que quase todas as mulheres têm?

“Por conta do fator estrogênico, já que o hormônio estrogênio está diretamente envolvido no processo dessa inflamação.”

Quais são as causas principais?

“Está relacionada a vários fatores, entre eles: o sobrepeso e a gordura, mas muitas mulheres magras também têm celulite e isso ocorre porque há um desequilíbrio entre a taxa de gordura e a taxa muscular. Depende também de fatores genéticos: existe uma predisposição familiar e pessoal, como uma tendência natural ao edema. Além disso, as mulheres brancas caucasianas têm mais celulites que as mulheres asiáticas e negras. A celulite ainda tem causas em problemas microcirculatórios. Nós sabemos que 70% das mulheres que apresentam celulite podem apresentar também alterações vasculares principalmente nos membros inferiores.”

Há fatores de gatilho?

“Os fatores de piora são: má alimentação; sedentarismo (a falta de atividade física); não funcionamento intestinal; baixa ingesta de líquidos; abuso no consumo de industrializados; alimentos ricos em sódio, açúcar e gorduras; metabolismo lento, uso de pílula anticoncepcional; tratamentos com hormônios à base de estrogênio; alterações da tireoide no caso o hipotireoidismo; excesso de peso, ou pessoas com peso normal e com altas taxas de gordura (índice de massa corpóreo em desequilíbrio). A celulite está relacionada também a fatores de alteração hormonal: gravidez, pré-menopausa, stress com aumento do cortisol e o cigarro, todos piorando o quadro de celulite.”

Quais são as áreas mais afetadas?

“As áreas mais acometidas pela celulite são: as regiões do quadril, dos glúteos, das coxas (principalmente a face interna da coxa e a região posterior), abdômen inferior e braços.”

Quais as classificações?

“A celulite pode começar com um grau I, um grau leve e assintomático, e ir evoluindo gradativamente de acordo com o não-tratamento. Tudo depende da quantidade e profundidade das depressões, presença e característica dos nódulos (dolorosos, palpáveis, visíveis) na pele, além da flacidez tecidual.”

Tem cura?

“Não, mas tem controle e melhora. E isso depende muito da qualidade de vida da paciente, a qualidade das horas de sono, a quantidade de cortisol que está sendo liberada na corrente sanguínea. Temos que orientar que ela deve estar em constante vigília com sua alimentação (retirando excesso de sódio, sal e açúcar), com a prática de exercícios físicos, a ingesta de água de pelo menos 1,5 a 2 litros por dia, para ajudar na liberação dessas toxinas que formamos e temos muita dificuldade de liberar e que traz mais inflamação ao tecido gorduroso.”

Celulite com gordura é mais difícil de tratar?

“Sim! Às vezes, só o fato de a paciente emagrecer, vai haver uma melhora no quadro da celulite. Mas para tratar a celulite, é preciso que haja uma mudança na qualidade de vida. Além das mudanças já citadas, a drenagem linfática e modeladora deve ter seu lugar semanal, principalmente na região dos glúteos, culotes, flancos e abdômen inferior. Além disso, se é um paciente tabagista, alertamos sobre a importância de que ele pare de fumar, porque o tabagismo é um fator agravante, é um gatilho importante. A bebida alcoólica também piora bastante porque além das calorias vazias é um quadro que predispõe a retenção hídrica do nosso organismo.”

Quais os tratamentos?

“Hoje em dia, temos vários tratamentos para celulite com tecnologias bastante avançadas como, além da drenagem linfática, o uso da Endermologia, dos bioestimuladores de colágeno injetáveis, da Radiofrequência, dos lasers de baixa intensidade, onde usamos as ondas acústicas, enfim, uma série de tecnologias que devem ser combinados para, juntos, trazer uma remodelação corporal. Temos que adotar algumas medidas terapêuticas dentro do consultório, dependendo do grau da celulite, da idade e do biótipo dessa paciente.”

Soluções caseiras funcionam?

“Muitas pessoas falam sobre as máscaras de esfoliação com café, mas isso não procede em termos de estudos científicos, e dificilmente esses ingredientes penetram até a camada onde se inicia o processo inflamatório.”

Cremes: o que devem ter?

“Para melhora da qualidade da pele, principalmente na textura da superfície, podemos associar cremes com retinol, castanha da índia, chá verde, mas na forma de produtos que sejam vetorizados e que consigam penetrar na superfície da pele e chegar até a junção dermoepidérmica, melhorando o quadro de textura, irregularidade da casca de laranja e o processo inflamatório superficial. Mas somente o uso desses cremes não resolve ou cura a celulite. É mais um coadjuvante e uma maneira de manutenção, prevenção e controle.”

Compartilhar:

Sobre DRA. VALÉRIA MARCONDES

DRA. VALÉRIA MARCONDES

Formada pela faculdade de Ciências Médicas de Santos, a dermatologista Valéria Marcondes fez residência no Departamento de Dermatologia do Hospital Clínico da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Ela é membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia desde 1987, com título de especialista. Também é fundadora da Sociedade Brasileira de Laser e Diretora Científica da Sociedade Brasileira de Medicina Estética.

  • Email

Adicionar comentário

Quer dar a sua opinião sobre a matéria, tirar uma dúvida ou colaborar com o tema? Envie seu comentário para a gente! Fique atento, pois os campos “Nome” e “E-mail” são obrigatórios (mas o seu e-mail não será publicado no comentário!).*