2 de outubro de 2015
0
||||| 0 |||||
295

Biofeedback: Ajustando o Bem-Estar Para a Alta Performance

©Syda Productions/Shutterstock

Muito do que seu corpo é capaz de fazer está sob o seu exclusivo controle. Sorrir para um amigo, cruzar as pernas, levantar cargas ou fazer abdominais são escolhas suas. Você decide, quando, onde e a razão de fazer.

Porém, há uma infinidade de funções corporais que são involuntárias e realmente podem fazer total diferença durante as atividades desempenhadas, ao longo de sua vida.

Normalmente você não decide fazer com que sejam aumentados, por exemplo, os seus batimentos cardíacos, a temperatura da sua pele ou a sua pressão sanguínea. Mas tudo isso pode acontecer se as circunstâncias fizerem você se sentir nervoso, excitado, ou até mesmo se você decidir se exercitar.

O que inspira o Biofeedback é a utilização da mente para a conscientização do que está acontecendo dentro do seu corpo, de maneira que você possa controlar sua saúde.

“Resultados de estudos mostram a possibilidade de controlar o funcionamento do próprio corpo, a partir do momento que você passa a conhecê-lo melhor”
Flávia Lippi – Idealizadora do IDHL

Flávia Lippi, Idealizadora do IDHL – Instituto de Desenvolvimento Humano Lippi, dá um exemplo de como funciona esse processo.

Em uma competição, os atletas que veem nos seus oponentes uma ameaça estão sujeitos a um desequilíbrio físico causado por aumento de estresse e ansiedade, pois a sensação de ameaça induz o organismo a produzir cortisol. O cortisol é um hormônio que tem suas taxas elevadas em situação de estresse e essa elevação pode provocar diversos problemas físicos.

Quando esse atleta é ligado ao aparelho de Biofeedback, ele pode ter inúmeras funções monitoradas em tempo real e o terapeuta que o acompanha irá conduzir um processo incluindo, por exemplo, exercícios respiratórios, musculares, meditativos ou de visualização, cujos resultados são mostrados imediatamente para o praticante.

Dessa forma, ao fazer os exercícios, o atleta de nosso exemplo verá a queda da frequência de seus batimentos cardíacos, da pressão sanguínea e outros índices analisados. Em um ciclo virtuoso, seu cérebro registrará que a calma, concentração e o foco diante do adversário trazem maiores benefícios do que a visão original de ameaça.

Os números provam

Flávia destaca que “no best-seller – Curar… o Stress, a Ansiedade e a Depressão sem uso de medicamentos nem psicanálise, o Dr. David Servan-Schreiber, neuropsiquiatra francês, comenta o resultado de um estudo realizado em 6.000 executivos de empresas multinacionais europeias e americanas, usando biofeedback cardiovascular e coerência cardíaca.”

Segundo ela, no livro, “ele mostra que houve significativa redução da pressão arterial sistêmica, que o DHEA – hormônio da juventude – dobrou e houve redução dos níveis de cortisol em 23%. Observou, também, o declínio do estresse e maior equilíbrio emocional, com redução de palpitações frequentes de 47% para 25%, na tensão física de 41% para 15% e insônia de 34% para apenas 6%”.

Outros resultados do estudo do Dr. Servan-Schreiber mencionados por Flávia foram a redução de sentimentos e/ou sensações de exaustão, a redução de dores em geral, da ansiedade e da insatisfação pelo trabalho.

São números e resultados incríveis, que mostram a possibilidade de controlar o funcionamento do próprio corpo, a partir do momento que você passa a conhecê-lo melhor.

Compartilhar:
Tags:

Sobre body.mag

body.mag

Aqui na redação da body.mag somos loucos por pesquisar e transformar esse conhecimento em informação relevante para você. O nosso dia a dia também é corrido, mas nunca abrimos mão do bem-estar e qualidade de vida. É assim, com esse pensamento, que trabalhamos para transformar a vida das pessoas. Apesar de sermos antenados, sempre queremos ouvir as sugestões dos nossos leitores, afinal, a body.mag é feita para você!

  • Email

Adicionar comentário

Quer dar a sua opinião sobre a matéria, tirar uma dúvida ou colaborar com o tema? Envie seu comentário para a gente! Fique atento, pois os campos “Nome” e “E-mail” são obrigatórios (mas o seu e-mail não será publicado no comentário!).*