29 de maio de 2018
0
||||| 0 |||||
215

Coluna x Musculação

TORWAISTUDIO/Shutterstock

Como a coluna é a base de nosso corpo, é praticamente impossível termos uma boa mobilidade e funcionalidade sem o seu correto funcionamento. Neste sentido, o treino de musculação sempre deve buscar preservar estas estruturas.

A musculação não fica restrita apenas a questão estética ou da melhora do desempenho físico. Em diversos casos ela é usada para fins profiláticos (de prevenção) e de tratamento de certas patologias. No caso da escoliose, por exemplo, que é o encurvamento da coluna vertebral, podendo ocorrer na parte lateral ou medial. Confira, abaixo, um pouco mais sobre o assunto.

Conheça três causas de escoliose

  • CONGÊNITA

A escoliose congênita ocorre graças a um problema com a formação dos ossos da coluna vertebral (vértebras) ou, então, da fusão das costelas durante a fase de desenvolvimento do feto ou do recém-nascido.

  • NEUROMUSCULAR

A escoliose neuromuscular é causada por problemas como baixo tônus muscular ou, então, um controle precário dos músculos. Outra provável causa são os casos de paralisia decorrente de doenças como paralisia cerebral, distrofia muscular, pólio e espinha bífida.

  •  IDIOPÁTICA

A escoliose idiopática ainda não possui causa conhecida. Geralmente, a escoliose idiopática que ocorre em adolescentes é o tipo mais comum.

Os sintomas mais comuns de escoliose são desvios de postura nos quadris e nos ombros, que ficam assimétricos, dor na região lombar, fadiga excessiva. Esta doença é mais comum do que muitos pensam. Cerca de 3% da população mundial sofre dela, sendo que muitos nem sabem disso.

Quais exercícios evitar:

Como a escoliose se encontra na parte de corpo responsável por ajudar na absorção do impacto e no processo de estabilização, devemos ter muitos cuidados para que a musculação ajude a melhorar o problema e não agravar o mesmo.

Inicialmente podemos falar que os exercícios que promovam uma carga vertical sobre a coluna têm de ser evitados, pois eles acabam agravando, em muito, o problema. Em escolioses estruturais, onde temos um quadro crônico, os exercícios já não são mais suficientes para resolver o problema e, na maioria dos casos, apenas uma cirurgia é a solução. Porém, mesmo nesses casos, a musculação, aliada com trabalhos de flexibilidade, podem fazer com que se melhore e previna outros problemas advindos da escoliose, como a hérnia de disco.

Um dos exercícios que deve ser evitado por indivíduos escolióticos é o agachamento. Apesar de ser um dos melhores exercícios para membros inferiores com pesos livres, o agachamento necessita de estabilização da coluna lombar e, consequentemente, joga uma carga vertical sobre a coluna, o que é contraindicado para estes casos. Além disso, o levantamento terra também deve ser evitado, pelo mesmo motivo do agachamento.

Exercícios para ombros, como desenvolvimento ou remada em pé, também jogam uma carga tensional muito elevada sobre a coluna e são contraindicados. Exercícios como rosca direta e tríceps na polia até podem ser executados por indivíduos escolióticos, mas em casos de graus reduzidos. A remada curvada é outro exercício que deve ser evitado, por sua carga vertical aplicada sobre a coluna.

Escoliose e Hiperlordose

Escoliose é uma patologia que afeta a coluna causando deformidade nos 3 planos, coronal (frente), sagital (perfil) e axial (rotacional). Pode ser causada por diversas situações, desde má formações, traumas, contraturas musculares, até desgastes e degenerações. Para explicarmos hiperlordose, devemos introduzir o conceito de lordose. Lordose é uma curva fisiológica, isso é normal. Estudos mostram grande variabilidade no valor angular da curvatura, que varia com relação ao sexo, raça e faixa etária. Portanto, hiperlordose são aumentos da curva lordótica, fora dos limites do fisiológico.

Esses problemas causam dor?

Tudo vai depender do que causa a escoliose e a hiperlordose. Se as causas forem traumas ou contraturas são extremamente dolorosas e limitantes, mas se a causa for má formação ou degenerativas, nem sempre são dolorosas.

Quem tem desvios como escoliose e hiperlordose pode fazer musculação? Quais são os cuidados?

É sempre bom ressaltar a importância da atividade física nas nossas vidas, ter uma musculatura forte é fundamental para não termos dores nas costas. Para esse grupo em especial é mais importante ainda, desde que a causa da escoliose ou da hiperlordose não impeça este grupo de fazer. Por exemplo: causas traumáticas, nos períodos dolorosos devem evitar fazer atividades, mas passado a crise, e ressaltando, após autorização do médico deve sim voltar as atividades.

Que tipo de exercícios deve-se evitar? Por quê?

Pessoas portadoras de grandes deformidades na coluna devem evitar exercícios de alto impacto, já que esses exercícios podem acelerar um processo de degeneração na coluna. Mas como dito anteriormente, existem diversos outros exercícios como musculação, pilates, esportes aquáticos que podem, e devem, ser feitos.

Pessoas com esses desvios não podem abusar da carga ou não interfere?

Abusos nunca são bons, mas se quiser fazer exercícios de hipertrofia, precisam antes de mais nada ter musculaturas estabilizadoras de tronco (core) bem fortalecidas, para não ocorrer alterações posturais durante os exercícios de sobrecarga que poderiam ser danosas à postura.

Compartilhar:
Tags:

Sobre Fabio Leme

Fabio Leme

Formado em medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Residência em Ortopedia e Traumatologia no Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Santa Casa de São Paulo “Pavilhão Fernandinho Simonsen”.Especialização em Cirurgia da Coluna Vertebral, Coordenador do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital San Paolo.Coordenador do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital São Camilo Santana, Membro da “Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia-SBOT” , Membro da “Sociedade Brasileira de Cirurgia da Coluna”

  • Website
  • Email

Adicionar comentário

Quer dar a sua opinião sobre a matéria, tirar uma dúvida ou colaborar com o tema? Envie seu comentário para a gente! Fique atento, pois os campos “Nome” e “E-mail” são obrigatórios (mas o seu e-mail não será publicado no comentário!).*