30 de agosto de 2018
0
||||| 0 |||||
149

Mudam as Regras Para Suplementos Alimentares

Shutterstock

Desde dezembro de 2017 a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa já dava sinais de promover uma grande revisão no segmento dos suplementos alimentares. Abriu consulta pública no primeiro semestre deste ano sobre o tema e agora foi adiante. Nesta terça-feira, dia 17, aprovou medidas que fazem parte de um novo marco regulatório para o setor de suplementos alimentares no País.

Segundo técnicos da Anvisa, a regulamentação, que é inédita, contribuirá para o “acesso dos consumidores a suplementos alimentares seguros e de qualidade e ajudará a reduzir a assimetria de informações existente nesse mercado, especialmente no tocante à veiculação de alegações sem comprovação científica”.
É um verdadeiro pacote de regramento que avança para disciplinar a comercialização dos suplementos alimentares, cujo mercado movimenta bilhões de dólares anualmente e, em boa parte dos casos, não atende critérios científicos. As normas são necessárias para corrigir distorções. Até o momento as empresas tinham liberdade de inserir nos rótulos indicações terapêuticas sem confirmação científica de sua eficácia. Acreditamos na mudança positiva, no entanto, é preciso que se reforcem os mecanismos de fiscalização. fonte: Asbran

Quais são as pessoas que devem recorrer a suplementos para incrementar os resultados dos treinos?

Uma boa alimentação, hábitos saudáveis e a prática regular de esportes devem fazer parte da rotina de praticantes de atividade física, atletas amadores e profissionais. Para aqueles que praticam uma atividade física regular, como é o caso de musculação ou corrida, ou mesmo atletas que vêem no esporte uma forma de trabalho, a inserção de suplementos alimentares tem como objetivo completar a dieta diária do esportista e auxiliar na reposição de vitaminas e sais minerais. Em alguns casos a falta do complemento pode ocasionar ao atleta a queda de rendimento, cansaço excessivo, deficiência de nutrientes, entre outros problemas.
Os suplementos são indicados para pessoas que necessitam de mais calorias, proteínas e vitaminas, além das que são consumidas nas refeições diárias. Como os atletas passam a maior parte do dia treinando, muitas vezes só com as refeições “comuns” (café, lanches, almoço e jantar) não conseguimos oferecer todos os nutrientes necessários. Por isso usamos os suplementos para complementar a alimentação base e atingir as quantidades de nutrientes que os atletas precisam.

Qual é a importância de usar suplementos com acompanhamento médico ou de nutricionista?

Hoje há no mercado diversos tipos de suplementos alimentares, cada um com a sua finalidade e dosagem. Esses produtos possuem inúmeros compostos que pode alterar o metabolismo, por isso, o auxílio de um nutricionista na preparação da dieta e, conseqüentemente na indicação do suplemento alimentar é primordial. A suplementação segura é aquela que respeita os níveis máximos e seguros de determinados nutrientes para uma população especifica, estabelecido pelas DRIs (Dietary Reference Intakes). O profissional nutricionista poderá orientar os suplementos com base no diagnóstico nutricional e as necessidades individuais de cada indivíduo, prevalecendo sempre uma boa reeducação alimentar, a fim de otimizar um estado nutricional satisfatório e continuo, através de um alimentação equilibrada, tornando a suplementação apenas um alternativa para suprir as carências.
Além de tudo a prática do suplemento alimentar gera muitas controvérsias e as pessoas devem estar atentas se o produto escolhido possui o registro da ANVISA (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária), pois ela é responsável por assegurar a venda e utilização dos produtos, a fim de garantir a qualidade sanitária e a segurança para a saúde, evitando por exemplo que tais suplementos alimentares contenham substâncias não mencionadas em seus rótulos, como alguns hormônios anabolizantes.
Por estes motivos mencionados acima, vale ressaltar que a busca por uma alimentação saudável, seguida de maneira contínua e prolongada, possibilitará que o indivíduo atenda as suas necessidades de vitaminas e minerais, mantendo as reservas de macronutrientes (substâncias calóricas) e micronutrientes (substâncias com funções metabólicas) adequadas, além de proporcionar um meio mais econômico, pois se sabe que em geral estes suplementos alimentares são de alto custo se administrados  diariamente, se comparados aos alimentos e vegetais da época, que além de serem mais baratos proporcionam uma maior absorção dos nutrientes em relação as mesmas substâncias vindas em comprimidos ou até mesmo em pós.
Assim, no caso de optar pela suplementação na sua ingesta diária ou durante os dias de pratica esportiva, deverá ser feito através de um acompanhamento com profissional nutricionista para a revalidação do período de administração, assim como os dados clínicos, o estado nutricional e de todo plano alimentar já prescrito.

Quais os perigos de usar suplementos sem indicação ou em quantidade exagerada?

O uso de suplementos sem prescrição adequada de um profissional qualificado pode gerar riscos ao coração e à saúde do indivíduo em geral. Problemas como arritmia, alteração da pressão arterial, insônia, sonolência e ansiedade podem ser resultados do uso inapropriado de suplementos nutricionais. Por conta disso, o ideal é manter os exames em dia e realizar acompanhamento com nutricionista para fazer a dieta de maneira saudável e segura.
Seja a vontade de ganhar músculos ou emagrecer, a recomendação é marcar uma consulta na rede e realizar exames para saber se podem tomar suplementos e qual tipo de suplemento é o mais indicado para obter os resultados almejados. Para marcar consultas com nutricionistas, o interessado deve ir ao Centro de Saúde correspondente à sua residência.

Veja alguns suplementos abaixo

WHEY PROTEIN

Isolado de proteína do soro do leite
A característica principal é a digestibilidade. Uma vez no corpo, ele se quebra e envia rapidamente aminoácidos essenciais para o tecido muscular. Esta característica é importante devido a alguns momentos do dia que precisarmos de uma reposição rápida de aminoácidos, como ao acordar, antes e após o treinamento. Outra vantagem importante é que as proteínas do soro do leite contem alguns peptídeos que aumentam o fluxo sanguíneo no tecido muscular, por isso a ingestão antes do treino é essencial, pois o músculo receberá mais oxigênio e hormônios adequados para potencializar a síntese protéica. A recomendação média de uso, que varia amplamente de pessoa para pessoa, é 20-40 gramas imediatamente ao acordar, 20-30 minutos antes do treino e imediatamente após o treino, sempre diluído em água. Os possíveis efeitos podem incluir reações alérgicas, que ocorrem quando o usuário possui baixa tolerância à lactose. A proteína isolada é mais indicada nesse caso.

CASEÍNA

É a outra proteína contida no leite, entretanto extremamente diferente do Whey protein. Sua digestibilidade é lenta, a liberação de aminoácidos ocorre por várias horas. Por essa característica os horários recomendados para suplementação são imediatamente antes de dormir, e nos lanches da manhã e tarde, entre as principais refeições. Algumas pesquisas recentes mostram que ingerir WHEY PROTEIN + CASEÍNA imediatamente após o treino seria mais efetivo para a hipertrofia muscular que ingerir somente WHEY PROTEIN. Outro resultado interessante é que o ganho de massa muscular é maior quando se ingere somente WHEY PROTEIN ao acordar e somente CASEÍNA antes de dormir, ou seja, vale à pena por em prática e testar na sua dieta somente WHEY PEOTEIN ao acordar, WHEY PROTEIN + CASEÍNA após o treino e somente CASEÍNA antes de dormir. Lembrando que o resto da dieta também deve estar condizente ao treinamento. A recomendação média de uso é 20-40 gramas imediatamente antes de dormir e 20-40 gramas após o treino associado com WHEY PROTEIN. São descritos alguns efeitos colaterais com o uso de caseína, como o inchaço. Indivíduos com intolerância à lactose não devem fazer uso dessa proteína. A caseína micelar deve ser tomada imediatamente após a mistura, porque o pó pode baixar e deixar a textura muito espessa.

CAFEÍNA

É a substância estimulante mais popular do mundo. Quando ingerida estimula o sistema nervoso central melhorando o foco, concentração e disposição. Está presente nos suplementos pré-treinos para auxiliar no rendimento e potencializar a queima de gordura. Funciona melhor ainda quando administrada com extrato seco de chá verde, neste caso a lipólise (queima de gordura) é mais efetiva. A recomendação média de uso é 200-400 miligramas de cafeína 2-3 vezes ao dia, sendo que uma das doses deve ser ingerida 30-40 minutos antes do treino. Ela pode gerar uma estimulação excessiva gerando uma liberação de adrenalina em quantidades perigosas, além de estimular a prática de exercício acima dos níveis seguros. A cafeína também possui um potente efeito diurético, prejudicando a hidratação em atividades prolongadas. Apesar de ter eficiência comprovada em muitos trabalhos, a cafeína pode ser bastante prejudicial a alguns indivíduos, enquanto que apresenta pouco, ou nenhum efeito àqueles que já a consomem habitualmente.

BETA-ALANINA

É um aminoácido não essencial que quando encontra no organismo outro aminoácido chamado histidina forma um composto denominado CARNOSINA, composto este que aumenta o tamanho e volume muscular, melhora a força e o rendimento nos treinos, além de auxiliar na queima de gordura. A recomendação média de uso é 1-3 gramas de BETA-ALANINA antes e após o treino.
Os efeitos colaterais que os usuários do suplemento de beta-alanina podem vir a experimentar são ondas de calor, coceira, sensação de formigamento e leve ardência na pele. Existe ainda o perigo de interação entre a substância e medicamentos usados no tratamento contra doenças do coração e disfunção erétil.

CLA

Vários estudos bem controlados e a prática clínica comprovam que o CLA auxilia significativamente no controle da gordura corpórea. Esta substância tem a capacidade de estimular algumas enzimas que contribuem para a retirada da gordura da célula para esta ser oxidada. Além disso, desestimulam algumas enzimas que tem o papel oposto, ou seja, armazenar gordura.

A recomendação média de uso é 1-2 gramas de CLA 3 vezes ao dia, café da manhã, almoço e jantar.  Interfere na ação da insulina: o ácido linoléico aumenta o estresse oxidativo (produção de radicais livres) piorando a ação da insulina; Aumenta os níveis de gordura no fígado: esse efeito adverso, até o momento, só foi encontrado em ratos. Espera-se esse efeito devido a um receptor encontrado nesse órgão chamado de PPAR responsável por controlar o metabolismo lipídico nesse órgão. Ação inflamatória: o CLA passa a induzir a resposta inflamatória do tecido adiposo tendo como consequência um prejuízo para todo o organismo. Outros efeitos adversos podem ser encontrados com o uso do CLA como dor de estômago, diarréia, flatulência e náuseas.

Ômega 3

Os ômegas 3, ácidos graxos poli-insaturados essenciais, derivados de gorduras animais e vegetais em alimentos. Eles podem ser fornecidos através de alimentos ou suplementos alimentares.

O ômega 3 age de duas maneiras para proporcionar benefícios ao sistema cardiovascular. O EPA diminui as atividades das plaquetas sanguíneas, evitando coágulos de sangue, que podem levar a um derrame ou infarto, e também reduz os níveis de triglicerídeos, outro tipo de gordura que é ruim para o organismo quando está elevada. Já o DHA ajuda a evitar arritmias cardíacas, estabilizando a atividade elétrica no coração. Efeitos colaterais diminuição a absorção de vitaminas lipossolúveis quando usada em altas doses, diarréia, pode ter efeito osmótico no intestino

L-arginina

No organismo, a l-arginina é convertida em um produto químico chamado óxido nítrico. O óxido nítrico faz com que os vasos sanguíneos se dilatem, melhorando assim o fluxo sanguíneo. Além disso, estimula a liberação do hormônio do crescimento, insulina e outras substâncias no corpo.
A arginina é um aminoácido que o corpo produz naturalmente, e tem um papel importante na redução da gordura corporal e construção muscular. Embora também esteja presente em muitos alimentos animais e vegetais, nos últimos anos, têm surgido vários suplementos, comumente utilizados entre atletas, a base deste aminoácido, com a finalidade de promover o ganho de força e o crescimento de massa muscular. Mas é preciso ter muito cuidado ao tomar este aminoácido artificial e isto deve ser feito sempre sob supervisão.

A ingestão excessiva de arginina pode levar a efeitos colaterais como: dor abdominal, inchaço, colite, alergias, inflamação das vias aéreas, asma e queda de energia. Este suplemento deve ser evitado casos de gravidez e amamentação, asma ou alergias, e qualquer tipo de hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Pessoas com problemas de pressão arterial baixa, que já tiveram ataque cardíaco, com herpes ou que tenham problemas com a coagulação do sangue também não devem consumi-lo. A arginina pode aumentar os níveis de açúcar no sangue, sendo assim, os diabéticos devem consumi-la com cautela. Doentes com problemas hepáticos também devem evitar seu consumo, pois pode aumentar o nível de potássio. O consumo de arginina pode piorar os sintomas de pacientes com anemia falciforme.

L-Carnitina

Dentro das substâncias conhe­cidas como fat burners, queima­doras de gordura, está a L-Carni­tina, que promove a queima de gorduras dentro da célula. No entanto, todos possuem uma quantidade suficiente da substância no organismo e suple­mentar não faz com que essa quantidade aumente ou traga mais efeito ‘queimador’. É um suplemento usado sem necessidade.

Compartilhar:

Sobre Paula Castilho

Paula Castilho

Nutricionista graduada pelo Centro Universitário São Camilo. Especialista em Nutrição Clínica pelo GANEP Capacitada em Fitoterapia em Nutricosméticos. Diretora da Sabor Integral Consultoria em Nutrição.

  • Website
  • Instagram
  • Email

Adicionar comentário

Quer dar a sua opinião sobre a matéria, tirar uma dúvida ou colaborar com o tema? Envie seu comentário para a gente! Fique atento, pois os campos “Nome” e “E-mail” são obrigatórios (mas o seu e-mail não será publicado no comentário!).*