19 de junho de 2018
0
||||| 0 |||||
291

O Tempo que Você Fica na Academia Pode Estar Consumindo os Seus Resultados!

@SFIO CRACHO/Shutterstock

Muitos se questionam sobre o tempo de duração de um treino, e hoje trarei para vocês de forma pragmática não só a resposta a esse questionamento, mas também a explicação do mesmo.

Quando você treina, o seu corpo utiliza energia advinda de algum lugar, engana-se quem acha ser sempre da gordura. Na verdade, essa é uma das últimas opções, tendo em vista que a gordura é uma reserva e a intenção do seu corpo é justamente mantê-la como tal.

O “substrato energético” favorito do seu corpo é o glicogênio muscular, situado claro, dentro do músculo. Quando você treina voltado à hipertrofia, por exemplo, esse tanque de combustível dura proporcionalmente à intensidade do trabalho, sendo assim difícil de precisarmos por ele a duração do treino.

A questão é que quando ele acaba o seu corpo começa a se “canibalizar”, ou seja, inicia-se um processo de catabolismo muscular para gerar energia, em outras palavras, você está queimando músculo para manter o treino. Um ponto importante é que se a dieta está baixa em carboidrato o tanque nunca enche, logo, fica ainda mais fácil entrar no processo acima citado.

Atividades combinadas como treino de musculação + aeróbico, treino de musculação + aula ou outras combinações de atividades tem alta probabilidade de entrar em catabolismo, mas isso fica para a próxima matéria.

Outro ponto importante e para mim por vezes determinante para definir a duração do treino é a liberação de hormônios. Para quem quer assim como eu reduzir gordura e aumentar a massa muscular, o famoso GH e a Testosterona são aliados e liberados em grande quantidade durante o treino intenso, isso mesmo galera, intenso. Não adianta treinar meia boca e querer liberar esses caras.

O GH atinge pico com 40 minutos de treino e a testosterona por volta de 30 minutos. Aqui esta a explicação do porquê você sempre ouviu que um treino não deve ultrapassar os 40 minutos, mas para muitos até hoje era uma informação dogmática.

A grande questão é que quando o GH e a testosterona entram em declínio, o cortisol entra em ação e com ele o catabolismo muscular. Na grande realidade, para quem almeja aumentar músculos (isso vale também para as meninas que querem ficar com as coxas torneadas e o bumbum empinado e durinho), o treino é maléfico para a sua musculatura – catabólico – porém essencial para estimular o crescimento que na realidade acontece enquanto você descansa e se alimenta, pois aquela sensação de músculos maiores durante o treino na verdade é só aumento de sangue no local.

Entendemos assim que o treino deve ser intenso e curto, precedendo um descanso bem nutrido e anabólico para quem busca esse tipo de resultado.

Forte abraço, ótimos resultados e até a próxima.

Compartilhar:
Tags:

Sobre Laércio Refundini

Laércio Refundini

Personal trainer, Especialista em fisiologia do exercício e biomecânica da musculação. Ex atleta de fisiculturismo. Embaixador e Vj Iridium Labs Brasil.

  • Instagram
  • Email

Adicionar comentário

Quer dar a sua opinião sobre a matéria, tirar uma dúvida ou colaborar com o tema? Envie seu comentário para a gente! Fique atento, pois os campos “Nome” e “E-mail” são obrigatórios (mas o seu e-mail não será publicado no comentário!).*